Operação da PF coíbe contrabando de cigarros no RS

09:55:00

Uma operação contra o contrabando de cigarros foi deflagrada na manhã desta quinta-feira no Rio Grande do Sul e em mais seis estados do Brasil. De acordo com informações da Polícia Federal (PF), a ofensiva, chamada de Huno, contabilizou um prejuízo de R$ 2,3 bilhões para União em tributos. O objetivo é cumprir sete mandados de prisão, sete de condução coercitiva e 50 de busca, além da determinação judicial do sequestro de 59 imóveis, 47 veículos e contas bancárias, patrimônio que totaliza aproximadamente 80 milhões de reais. 

Além do Rio Grande do Sul, a PF, a Receita Federal e a Procuradoria da Fazenda Nacional irão atuar no Ceará, Pará, Paraná, Rio de Janeiro, Santa Catarina e São Paulo. Mais de 200 policiais federais, 90 servidores da Receita Federal e quatro procuradores foram designados para participar da operação. 


As investigações da PF estão inseridas na Operação Sentinela e começaram em setembro do ano passado, tendo o contrabando como foco. Durante a apuração dos crimes, os policiais encontraram um esquema maior, que primava pela prática de outras infrações penais e tributárias. 

Contrabando como ponta do iceberg

As ilegalidades abrangem associação criminal, receptação, falsificação de documentos, sonegação fiscal, exportação irregular de fumo, contrabando de cigarros, adulteração de produtos entregues a consumo e pirataria de marcas registradas. 

De acordo com a Polícia Federal, os suspeitos envolvidos nos crimes utilizavam empresas de fechada e laranjas para desviar tabaco da cadeia econômico-tributária. Parte desse fumo era fornecido para fábricas no Paraguai através de exportação irregular e retornava ao Brasil como cigarro industrializado e contrabandeado. 

O restante da mercadoria era enviado para fábricas clandestinas de cigarros localizadas nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro, que ainda falsificavam marcas paraguaias para distribuição no mercado nacional. O pagamento pelo fumo processado era feito de diversas formas. Uma delas consistia na transferência de carros de luxo e até máquinas usadas em construção, como retro-escavadeiras e moto-niveladoras
FONTE: CORREIO DO POVO

LEIA TAMBÉM

0 comentários

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('LEIA')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();

Subscribe