BULLYING: UMA VIOLÊNCIA SILENCIOSA QUE PRECISA SER COMBATIDA


Por Vitor Sarmento – Advogado

Pais, vocês já sentiram seus filhos tristes, retraídos, sem vontade de ir à escola? Muita atenção, pois ele pode estar sendo vítima de bullying no ambiente escolar, afinal, o Bullying é, muitas vezes, uma violência silenciosa que causa muita mutilação à vítima.

Bullying é uma situação que se caracteriza por agressões intencionais, as quais pode ser verbais ou físicas, feitas de maneira repetitiva, por um ou mais alunos contra um ou mais colegas. O termo tem origem na palavra inglesa bully, que significa valentão, brigão. Mesmo sem uma denominação em português, é entendido como ameaça, tirania, opressão, intimidação, humilhação e maltrato.

O termo tem sua fonte em estudos realizados por Dan Olweus, professor da Universidade da Noruega, no fim dos anos 70. O referido professor, ao estudar as tendências suicidas entre adolescentes, descobriu que a maioria desses jovens tinha sofrido algum tipo de ameaça e que, portanto, o Bullying era um mal a combater.

É difícil dizer o que levam jovens a cometer Bullying, contudo, diz-se que isso está ligado a um sentimento de querer ser popular, ou se sentir valente.

Trata-se de um tipo de agressão que precisa a ser combatido no ambiente escolar brasileiro, pois são cada vez maiores os tipos de situações que configuram Bullying.

Com base nisso, surgiu a Lei de Combate a Intimidação Sistemática, Lei n.º Lei 13.185/2015. A lei conceitua o bullying como todo ato de violência física ou psicológica, intencional e repetitivo que ocorre sem motivação evidente, praticado por indivíduo ou grupo, contra uma ou mais pessoas, com o objetivo de intimidá-la ou agredi-la, causando dor e angústia à vítima, em uma relação de desequilíbrio de poder entre as partes envolvidas.

Preocupada, a lei ainda elencou oito tipos de violências que configuram bullying, quais sejam, ataques físicos insultos pessoais, comentários sistemáticos e

apelidos pejorativos, ameaças por quaisquer meios, grafites depreciativos, expressões preconceituosas, isolamento social consciente e premeditado, pilhérias.

Também a lei incumbe ao Poder Público e ao ambiente escolar, a proteção e combate ao Bullying.

Contudo, a lei não tipifica os atos como crimes. Mas fique atento, ao praticar os atos mencionados, pode ser que eles configurem algum crime, como injúria, lesão corporal e estupro.

Portanto, pais, fiquem atentos nas atitudes de seus filhos. Qualquer comportamento estranho, com relação aos colegas e a escola, pode ser um sinal que ele está sofrendo bullying no ambiente escolar.

BULLYING NÃO É BRINCADEIRA! É MALDADE!
Tecnologia do Blogger.