Vacina brasileira contra o coronavírus entra em fase de testes em animais



Pesquisadores do Brasil que desenvolvem uma vacina contra o novo coronavírus, responsável pela Covid-19, anunciaram que o estudo entrou em uma nova fase pré-clínica. A imunização, que segue um modelo diferente do empregado em outros países, será testada em camundongos.

O projeto é liderado por cientistas da Faculdade de Medicina da USP e pelo Laboratório de Imunologia do Instituto do Coração. A pesquisa é financiada pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo.

Após esta fase dos estudos pré-clínicos, os pesquisadores poderão começar a testar a vacina em voluntários humanos. É neste momento que se identifica qual é a concentração capaz de introduzir uma resposta rápida e duradoura do sistema imunológico da vacina em animais.

“Já conseguimos desenvolver três formulações de vacinas que estão sendo testadas em animais. Em paralelo, estamos formulando diversas outras para identificar a melhor candidata”, disse Gustavo Cabral, pesquisador responsável pelo projeto.

As partículas usadas na vacina são induzidas a carregar fragmentos do novo coronavírus e, assim, gerar uma resposta do corpo humano com segurança. O modelo escolhido pelos brasileiros é diferente de outros internacionais que usam as vacinas baseadas fundamentalmente em mRNAm (RNA mensageiro).

Esse modelo deve demorar mais tempo e leva em conta uma multiplicidade de fatores que faz com que muitas vezes a vacina obtida não seja eficaz. ( O Sul )





Tecnologia do Blogger.