16 milhões de beneficiários do Bolsa Família receberão extensão do Auxílio Emergencial


Até o próximo dia 30, os integrantes do Programa Bolsa Família (PBF) recebem o benefício de R$ 300 ou R$ 600, conforme o calendário do programa, incluindo a primeira parcela da extensão do Auxílio Emergencial aos trabalhadores de famílias beneficiárias.


Das mais de 14,27 milhões de famílias contempladas na folha de pagamento de setembro, 12,4 milhões receberão a parcela relativa ao valor habitual do programa somada à nova fase do auxílio.


“Houve um estudo muito importante que fizemos, inclusive a partir de dados do Ministério da Saúde, mostrando as condições epidemiológicas no Brasil inteiro. Ainda é importante termos esse reforço de proteção social até o fim do ano. Essa é a política de que não fica ninguém para trás”, Fabiana Rodopoulos, secretária nacional de Renda de Cidadania do Ministério da Cidadania.


A extensão de quatro parcelas até dezembro deste ano é destinada aos trabalhadores de famílias beneficiárias que já tenham recebido as cinco parcelas anteriores do Auxílio Emergencial e que permaneçam elegíveis de acordo com as regras estabelecidas pela Medida Provisória nº 1.000, de 2 de setembro.

“O público do Bolsa Família agora retorna para a folha usual do programa, com a diferença que estamos pagando o complemento até chegar aos R$ 300 ou aos R$ 600. Nas cinco primeiras parcelas do Auxílio Emergencial, o benefício do Bolsa Família foi suspenso e todas as famílias elegíveis passaram a receber o Auxílio Emergencial, desde que fosse mais vantajoso para elas. A grande inovação é que a partir deste mês, as famílias beneficiárias do PBF, que não tenham mais nenhum integrante recebendo o benefício de R$600, voltarão a ter o Bolsa Família, somado à extensão do Auxílio Emergencial para se chegar à cota simples ou dupla”, explica Fabiana Rodopoulos, secretária nacional de Renda de Cidadania (Senarc) do Ministério da Cidadania.


Neste mês, segundo informações da Dataprev, 1,5 milhão de famílias receberão somente a parcela habitual do Bolsa Família, enquanto 185 mil serão beneficiadas apenas com o Auxílio Emergencial em sua versão original. Além disso, há 84,5 mil famílias que receberão tanto parcelas do Auxílio Emergencial original quanto da extensão. Isso ocorre porque, como o benefício é pago por pessoa, há famílias em que há indivíduos que ainda estão recebendo parcelas da primeira leva do Auxílio Emergencial, enquanto outras já passaram a essa nova fase.


O esforço governamental tem o objetivo de manter um apoio significativo aos beneficiários do programa frente às dificuldades impostas pela pandemia de Covid-19.


“Esse foi um estudo muito importante que fizemos, inclusive a partir de dados do Ministério da Saúde, mostrando as condições epidemiológicas no Brasil inteiro. Ainda é importante termos esse reforço de proteção social”, destaca a secretária. “Todos serão acompanhados. Essa proteção social é importante até o fim do ano. Essa é a política de que não fica ninguém para trás”, completa.



Tecnologia do Blogger.